terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Pilotos do Brasil fazem o primeiro voo solo de Gripen na Suécia

Capitães da FAB fizeram manobras sozinhos sobre Mar do Norte.
Eles serão primeiros instrutores do novo caça de combate do país.

Tahiane Stochero Do G1, em São Paulo
Os capitães da Aeronáutica Gustavo Oliveira Pascotto e Ramon Santos Fórneas fizeram nesta terça-feira (27) seus primeiros voos sozinhos Gripen na Suécia, onde estão em treinamento desde novembro de 2014 para atuarem como instrutores do novo caça do Brasil.

As missões de treinamento dos capitães duraram uma hora.

Eles decolaram da Base Aérea de Såtenäs, na região central da Suécia, que abriga a unidade da Força Aérea sueca de instrução para pilotos de combate.
Capitão Fórneas comemora primeiro voo solo no Gripen na Suécia (Foto: FAB/Divulgação)Capitão Fórneas comemora primeiro voo solo no Gripen na Suécia (Foto: FAB/Divulgação)
Durante o treinamento, eles realizaram manobras em áreas sobre o Mar do Norte e a costa oeste da Suécia.

Os dois pilotos retornaram à bae por volta das 11h45 (hora de Brasília), onde foram recepcionados por todos os pilotos da Sétima Ala da Força Aérea da Suécia para comemorar o voo solo.
Pilotos brasileiros fazem voo solo na Suécia (Foto: FAB/Divulgação)Pilotos brasileiros fazem voo solo na Suécia (Foto: FAB/Divulgação)
Os dois pilotos já voavam jatos Gripen desde o dia 19 de novembro de 2014, mas sempre acompanhados de instrutores. Eles deverão retornar ao Brasil em abril para atuarem como instrutores dos oficiais brasileiros que irão pilotar o Gripen.

Capitão brasileiro se prepara para decolar de Gripen (Foto: FAB/Divulgação)Capitão brasileiro se prepara para decolar de Gripen (Foto: FAB/Divulgação)
Entre 2019 e 2024, o Brasil deve receber 36 unidades de jatos Gripen da versão NG que ainda está em desenvolvimento. O governo irá pagar US$ 5,4 bilhões pelas aeronaves.

Mas até hoje eles só cumpriam suas missões com a companhia de um instrutor de voo da Força Aérea da Suécia.
Capitão Pascotto decola de Gripen (Foto: FAB/Divulgação)Capitão Pascotto decola de Gripen (Foto: FAB/Divulgação)

Avião da Azul é atingido por raio no Norte de Minas Gerais

A mesma aeronave que deveria sair de Montes Claros nesta terça-feira às 7h50 com destino à capital, não decolou

postado em 27/01/2015 09:38 / atualizado em 27/01/2015 10:33
Um avião da Azul Linhas Aéreas, que saiu do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, com destino a Montes Claros, foi atingido por um raio na noite de segunda-feira. Apesar do susto, os passageiros desembarcaram normalmente na cidade do Norte de Minas.

No entanto, a mesma aeronave que deveria sair de Montes Claros nesta terça-feira às 7h50 com destino à capital, não decolou. O voo 5029 foi cancelado e passageiros realocados. O em.com.br fez contato com a companhia e aguarda mais informações sobre a situação da aeronave.


Os passageiros que tinham conexão em Confins nesta manhã seguiram em outro avião menor da própria Azul. Aqueles que ficaram de fora deste voo, vão embarcar somente à tarde.

A administração do Aeroporto de Montes Claros confirmou o acidente com o raio e disse que a rotina do terminal não foi alterada.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Acidente com F-16 grego deixa 10 mortos na Espanha

Ele procedia de um exercício quando, durante a manobra de decolagem, perdeu força e se chocou na zona de estacionamento dos demais aviões, batendo contra algumas aeronaves no lugar


PUBLICADO EM 26/01/15 - 16h29
Dez pessoas morreram e outras 13 ficaram feridas nesta segunda-feira quando um F-16 grego caiu ao decolar em uma base aérea militar do sudeste da Espanha, informou um porta-voz do ministério da Defesa.
"Por ora, temos dez mortos e 13 feridos, sete dles com diagnóstico grave e um que recebeu alta", afirmou o porta-voz, que não informou a nacionalidade das vítimas.
O F-16 que caiu depois de decolar da base aérea de Los Llanos fazia parte do Tactical Leadership Programme (TLP) da Otan.
Ele procedia de um exercício quando, durante a manobra de decolagem, perdeu força e se chocou na zona de estacionamento dos demais aviões, batendo contra algumas aeronaves no lugar.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Falta de iluminação na pista cancela voos no maior aeroporto de MT

Infraero disse que dez voos foram cancelados no Marechal Rondon.
Problema foi no sistema de balizamento da pista e ainda não foi resolvido.

Do G1 MT
Aeroporto Marechal Rondon em Várzea Grande (MT) (Foto: Diego Hurtado/TVCA)Aeroporto Marechal Rondon em Várzea Grande
(MT) (Foto: Diego Hurtado/TVCA)
Um problema de iluminação na pista do Aeroporto Internacional Marechal Rondon,em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, provocou o cancelamento de pousos e decolagens durante a noite de sexta-feira (24) e a madrugada deste sábado (25). De acordo com a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), que administra os aeroportos do país, a situação ainda não foi resolvida, mas os voos foram retomados na manhã deste sábado em função da iluminação natural da pista.
No total, dez decolagens foram canceladas e dois pousos foram enviados para outros aeroportos, segundo a Infraero, que informou também que a falha ocorreu no sistema de balizamento da pista e começou por volta das 20h40 de sexta-feira.
Ainda não se sabe as causas do problema, e técnicos deverão entrar na pista somente por volta das 13h deste sábado, por causa do funcionamento intenso do local nesta manhã. Os passageiros que tiveram os voos cancelados foram levados a hotéis da capital.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Militar da Base Aérea morre durante treinamento com helicóptero em MS

Sargento caiu de altura de 8 metros, segundo assessoria da instituição.
Ele usava equipamentos de segurança no momento da queda.

Do G1 MS com informações da TV Morena
Um militar de 40 anos, da Base Aérea de Campo Grande, morreu na tarde desta quinta-feira (22), durante um treinamento operacional com helicóptero. Segundo a assessoria de imprensa da instituição, o sargento caiu de uma altura aproximada de 8 metros e usava equipamentos de segurança.
Ele chegou a ser socorrido após o acidente, mas morreu no Hospital da Base Aérea de Campo Grande. Em nota, o órgão lamentou a morte do militar e disse que a queda foi durante um exercício com um guincho, por volta das 15h10 (de MS).
Ainda conforme a instituição, o sargento usava equipamentos de segurança. O militar era enfermeiro e veio do interior de São Paulo. Ele deixa esposa e filho. A princípio, o velório do militar será realizado na capela da base. O acidente será investigado por uma comissão da Força Aérea Brasileira (FAB).
 A princípio, corpo continua no hospital da base, onde morreu. A principio, o velório será na capela da base. A Aeronáutica presta assistência e solidariedade aos familiares do militar e investiga as circunstâncias do acidente.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Aeronautas e aeroviários confirmam paralisação para esta quinta

postado em 21/01/2015 18:49 / atualizado em 21/01/2015 19:18
Os trabalhadores da aviação civil confirmaram a paralisação já programada para a manhã desta quinta-feira. A mobilização de aeronautas e aeroviários da base da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (Fentac) vai paralisar as decolagens e atendimentos nos aeroportos do País das 6h às 7h. O movimento é organizado pelos sindicatos dos Aeroviários de Guarulhos, Porto Alegre, Campinas, Recife, do Sindicato Nacional dos Aeroviários, que representa 22 Estados, e do Sindicato Nacional dos Aeronautas.

A paralisação foi decidida em assembleia na semana passada, após as entidades patronais terem proposto um reajuste de 6,5% nos salários, que corresponderia a um pequeno ganho real, de 0,17%, e 8% nos vales-alimentação e refeição, proposta considerada "inaceitável" pelos trabalhadores. As duas categorias reivindicam um aumento de 8,5% nos salários e demais benefícios.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, a Fentac afirmou que "a paralisação será deflagrada em razão que o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA), que representa as companhias TAM, Gol, Azul e Avianca, não apresentou até o final desta segunda-feira uma nova proposta de reajuste salarial e melhoria nos benefícios sociais para os trabalhadores da aviação civil".

Conforme apurou o Broadcast, uma nova proposta, de reajuste de 6,83% - o que corresponde à reposição de inflação mais um ganho real de 0,50% - chegou a ser colocada na mesa pelas empresas na semana passada, mas os representantes das categorias a rechaçaram, depois de já terem reduzido duas vezes sua reivindicação - inicialmente, eles defendiam um aumento de 11%. Nesta tarde, ainda havia tentativas de negociação.

Apesar de a paralisação estar prevista para durar apenas uma hora, em período ainda não considerado de pico, empresas aéreas e sindicalistas preveem impactos nas atividades para as horas seguintes de operação, com possíveis atrasos nos voos. O presidente do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru/CUT), Orisson Melo, afirmou, em nota, que a paralisação terá um reflexo nos aeroportos de todo o País, podendo ocasionar um atraso de até cinco horas nos voos nacionais e internacionais. "No GRU Airport, acreditamos que, por ser o maior em tráfego de passageiros do Brasil, o impacto do atraso de uma hora será bem maior, em razão também das conexões que são feitas entre os voos em Guarulhos entre os Estados", acrescentou.

Já as empresas preparam planos de contingência para tentar minimizar os impactos, mas, até o momento, não indicaram uma estimativa de impactos na malha e nos atrasos. Na tentativa de reduzir os reflexos, o SNEA entrou com ação cautelar preparatória do dissídio coletivo de greve no Tribunal Superior do Trabalho (TST), que determinou um efetivo mínimo de 80% de aeronautas e aeroviários em serviço durante a paralisação. Foi estabelecida também multa diária de R$ 100 mil no caso de descumprimento dessa determinação judicial.

Assembleia

Também para amanhã está prevista uma nova assembleia dos aeronautas, às 15 horas, para avaliar os resultados da mobilização e definir os rumos do movimento nos dias seguintes. "A assembleia pode inclusive definir ações mais incisivas, como a ampliação do período de paralisação diário, para que as reivindicações dos trabalhadores sejam atendidas", diz a convocação do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Monomotor cai em São João del Rey e deixa duas pessoas feridas

aeronave caiu a poucos metros da cabeceira da pista do aeroporto da cidade. As causas do acidente serão investigadas

postado em 19/01/2015 19:05 / atualizado em 19/01/2015 21:18
 
A queda de um monomotor deixou duas pessoas feridas na tarde desta segunda-feira em São João del Rey, na Região do Campo das Vertentes. A aeronave caiu a poucos metros da cabeceira da pista do aeroporto da cidade. As causas do acidente serão investigadas pela Polícia Civil e pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Os bombeiros foram acionados por funcionários do aeroporto que notaram problemas com a aeronave, prefixo PUA-KQ. “Fomos informados que a aeronave saiu de Passos e teve problemas quando chegava no terminal. O piloto tentou arremeter e depois caiu. Ninguém soube precisar o local exato aonde o avião caiu, por isso tivemos dificuldade para encontrá-la”, afirma o cabo Pablo Gottardo Silva.

Os tripulantes foram encontrados por um motorista que passava pela região do aeroporto. “O condutor os colocou dentro do carro e trouxe para o aeroporto. “Fizemos os primeiros socorros e os encaminhamos para o hospital”, comentou Silva. A aeronave caiu no Bairro César de Pina, que fica próximo a cidade de Tiradentes. Os dois ocupantes, o piloto Luiz Alberto Soudati, de 57 anos, e o passageiro Vítor Panhussatt, de 60, foram socorridos pelos bombeiros e encaminhados para o Hospital Nossa Senhora das Mercês. As vítimas sofreram escoriações, fraturas nos braços e cortes pelo corpo.

Os dois tripulantes informaram que tiveram problemas no voo quanto tentaram pousar no aeroporto. “As vítimas informaram que tentaram descer, mas devido a parte térmica, arremeteram e não conseguiram atingir altitude. Em seguida, caíram”, explica o cabo Ronaldo Carvalho Costa.

Viaturas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros atuaram na ocorrência. A polícia civil e técnicos do Cenipa vão analisar o que pode ter ocasionada a queda.