quinta-feira, 24 de julho de 2014

Homem bêbado tenta abrir porta de avião por confundir com porta do banheiro

A única coisa que manteve a porta fechada foi a pressão do ar


Fonte: efe
Um homem que bebeu vodka e cerveja para ficar tranquilão em sua primeira viagem de avião talvez devesse ter ficado sóbrio. Por pouco não foi a sua última viagem! Tomasz Mucha, 26 anos, tentou abrir a porta do avião achando que era o banheiro, em um vôo de Karkow para Dublin.
Thomasz, que não tem endereço fixo, admitiu estar bêbado no avião, além de ameaçar e ter comportamento abusivo quando foi acusado de seus erros.
O tribunal foi informado que o jovem estava bebendo sua própria cerveja e tentou abrir a porta. Ele consegui levantar a maçaneta, mas não conseguiu abrir porque a pressão do ar manteve a porta fechada. Alguns passageiros então começaram a ficar apreensivos e os funcionários colocaram o rapaz de volta ao seu assento.
Ele levou uma multa de 200 euros, cerca de R$ 600,00, após assumir que seu comportamento foi extremamente inadequado.

Air Algérie diz ter perdido contato com avião que saiu de Burkina Faso

Avião da companhia argelina voava de Uagadugu a Argel.
Perda de contato ocorreu 50 minutos após a decolagem.

Do G1, em São Paulo
mapa avião argélia (Foto: Arte/G1)
A Air Algérie anunciou nesta quinta-feira (24) ter perdido contato com um de seus aviões 50 minutos depois de ter decolado de Uagadugu, capital de Burkina Faso.
"Os serviços de navegação aérea perderam o contato com um avião da Air Algérie que voava nesta quinta-feira de Uagadugu a Argel, 50 minutos após a decolagem", anunciou a companhia pública argelina, citada pela agência APS, segundo a France Presse.
“A Air Algérie informa que os serviços de navegação aérea tiveram o último contato com o voo AH 5017, que cobre o trajeto entre Uagadugu e Argel, neste dia 24 de julho a 1h55 GMT, 50 minutos após a decolagem”, afirmou a companhia, que acrescentou ter colocado em prática um “plano de emergência”.
Um official do governo da Argélia disse que o último contato das autoridades do país com o avião desaparecido foi a 1h55 GMT, quando ele estava sobre Gao, no Mali.
Segundo a empresa privada de aviação espanhola Swiftair, que aluga algumas de suas aeronaves para a Air Algerie, o avião levava 110 passageiros e seis tripulantes, informou a Reuters.
O Ministério dos Transportes da França disse que é “provável” que houvesse muitos passageiros franceses no avião. “Havia provavelmente franceses a bordo, e se havia franceses, certamente eram vários”, disse o ministro Frederic Cuvillier.
A empresa publicou em seu site que a aeronave decolou de Burkina Faso a 1h17 locais (22h17 de quarta-feira em Brasília) e deveria pousar na Argélia às 5h10 locais (1h10 de Brasília), mas nunca chegou ao seu destino. Até o momento não houve nenhum contato com o avião, que segundo a empresa é um McDonnell Douglas MD-83.
Segundo o site da Air Algérie, a companhia realiza quatro voos por semana no trecho no qual o avião desapareceu.
Logotipo da Air Algerie é visto no escritório da empresa em Paris nesta quarta-feira (24), após um voo da companhia desaparecer na África (Foto: Remy de la Mauviniere/AP)Logotipo da Air Algerie é visto no escritório da empresa em Paris nesta quarta-feira (24), após um voo da companhia desaparecer na África (Foto: Remy de la Mauviniere/AP)

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Adolescente dos EUA morre ao tentar recorde de volta ao mundo em monomotor

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação
    Haris Suleman (dir.), 17, e seu pai, Babar, tinham decolado do aeroporto de Pago Pago, na Samoa Americana Haris Suleman (dir.), 17, e seu pai, Babar, tinham decolado do aeroporto de Pago Pago, na Samoa Americana
Um adolescente de 17 anos de Indiana (EUA) que tentava um recorde de volta ao mundo com um monomotor morreu nesta quarta-feira (23). O avião caiu no mar em circunstâncias ainda não esclarecidas.
Haris Suleman, 17, e seu pai, Babar, tinham decolado do aeroporto de Pago Pago, na Samoa Americana, um território dos EUA na Polinésia, na manhã de hoje.
Destroços da aeronave foram encontrados no oceano pelo Guarda Costeira. O corpo de Haris foi recuperado no local; as autoridades ainda fazem buscas pelo pai do adolescente.
Pai e filho tinham decolado de Indiana, nos Estados Unidos, no último dia 21 em um monomotor Hawker Beechcraft BE36.
Descendente de paquistaneses, Haris queria quebrar o recorde de volta ao mundo "mais rápida da história", já que tentaria concluir a viagem em 30 dias, e de "piloto mais jovem comandando um monomotor" a realizar o feito. O dinheiro arrecadado com a viagem seria doado a escolas no Paquistão.
"Por favor, rezem para que meu pai seja encontrado vivo e bem", escreveu Hiba Suleman, irmão de Haris, em um post no Facebook. (Com ABC News)

Avião cai em Taiwan durante pouso de emergência; 47 morrem

Do UOL, em São Paulo

Avião cai em Taiwan durante pouso de emergência12 fotos

6 / 12
23.jul.2014 - Imagem de televisão local mostra médicos atendendo os sobreviventes de avião que caiu em Taiwan durante uma tentativa fracassada de pouso de emergência. Ao menos 47 pessoas morreram no acidente. A aeronave da companhia aérea TransAsia Airways caiu nas ilhas Penghu. O voo GE 222 levava 54 passageiros e quatro tripulantes de Kaohsiung para Magon Leia mais Xinhua
Uma agência de notícias taiwanesa informou que um avião caiu em Taiwan durante um pouso de emergência. Ao menos 47 pessoas morreram no acidente.
A Taiwan News chegou a divulgar, citando o chefe do Corpo de Bombeiros local, que 51 pessoas haviam morrido, mas a informação foi corrigida a partir de declarações do ministro de Transportes do país, Yeh Kuang-shih, que afirmou que 11 pessoas sobreviveram.

Arte UOL
A aeronave da companhia aérea TransAsia Airways caiu nas ilhas Penghu, de acordo com a agência de notícias, chocando-se contra duas casas.
O voo GE222 levava 54 passageiros e quatro tripulantes de Kaohsiung para Magon, onde foi feita uma tentativa de pouso de emergência.
O avião, um ATR-72, deveria ter saído de Kaohsiung às 16h (horário local), mas decolou às 17h43 por causa do mau tempo na região, afetada pelo tufão Matmo. Teria sido pedido ao piloto que aguardasse até as 19h06 antes de dar a ele a autorização para o pouso.
Uma primeira tentativa de descida falhou, e o piloto pediu para realizar uma segunda tentativa, mas em seguida a torre de controle perdeu contato com a aeronave.
De acordo com a agência de notícias taiwanesa, o avião bateu com força no chão no distrito de Huhsi, provocando um incêndio que atingiu duas casas.
O piloto e o co-piloto foram identificados na mídia local como Lee Yi-liang, 60, e Chiang Kuan-hsing, 39, mas ainda não se sabe o que teria motivado o pouso forçado.
Investiga-se a possibilidade de o acidente estar ligado às intempéries provocadas pelo tufão Matmo, que havia passado por Taiwan e Penghu na manhã desta quarta-feira, com fortes ventos e chuvas.
O aeroporto de Magong foi fechado após o acidente, o que levou seis voos a mudarem de rota e retornarem ao aeroporto da capital, Taipé.
O primeiro-ministro de Taiwan,  Jiang Yi-huah, deve ir até Magong nesta quinta-feira.

Ajuda militar

Cerca de 200 militares foram enviados ao local onde o avião caiu para ajudar nas operações de resgate, de acordo com o ministério de Defesa Nacional, informa a rede de notícias Focus Taiwan.
Segundo oficiais do ministério, ambulâncias e veículos militares socorreram os sobreviventes às pressas para os hospitais mais próximos, com a Força Aérea em sobreaviso para transportar as vítimas para outras unidades de assistência médica, se necessário.
O aeroporto perdeu contato com o ATR-72 quando o avião estava a cerca de cem metros do chão, segundo informações da diretora-geral da Administração Aeronáutica Civil (CAA, em inglês), Jean Shen. A aeronave tinha 14 anos, disse ela.
O CAA organizou um centro de emergências em resposta ao acidente. (Com agências internacionais

Avião faz pouso de emergência e deixa mortos em Taiwan

Aeronave da companhia TransAsia fez pouso em Penghu.
Segundo a imprensa local, pelo menos 45 pessoas morreram

Do G1, em São Paulo
Um avião da companhia aérea TransAsia fez um pouso de emergência nesta quarta-feira (23), no arquipélago de Penghu, em Taiwan, deixando dezenas de mortos, informaram as agências Reuters e France Presse, com base na imprensa local.
De acordo com a agência taiwanesa Focus Taiwan, 58 pessoas estavam a bordo - 54 passageiros e quatro tripulantes. Sete feridos foram encaminhados para um hospital local. Segundo a agência, acredita-se que os outros 51 passageiros tenham morrido.
Os bombeiros locais falam em 45 mortos. Já a Reuters reportou 47 mortos, segundo dados da Administração Aeronáutica Civil.
De acordo a Focus Taiwan, o avião fez um pedido para arremeter quando tentava pousar no aeroporto de Magong, em Penghu, às 19h06 locais (6h06 de Brasília). O tempo estava ruim. A torre de controle perdeu contato com a aeronave enquanto ela fazia o procedimento e estava a cerca de 100 metros do solo. O acidente aconteceu em seguida, segundo o diretor-geral da Administração Aeronáutica Civil de Taiwan, Jean Shen.
De acordo com a mesma fonte, o avião, um ATR 72, decolou às 17h43 do aeroporto de Kaohsiung, no sul de Taiwan. A aeronave tinha 14 anos. O voo era o GE222.
O Conselho de Segurança da Aviação local convocou uma reunião de emergência para descobrir as causas do acidente.
Autoridades de transporte de Taiwan disseram que o avião pegou fogo após pousar no fim de uma pista.
Moradores locais disseram ter ouvido o barulho de explosões.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Imagem de satélite mostra local da queda do voo MH17 na Ucrânia

Aeronave da Malaysia Airlines caiu em área controlada por rebeldes.
Peritos estrangeiros ainda não tiveram acesso irrestrito à área.

Do G1, em São Paulo
Imagem de satélite mostra local da queda do Boeing 777 (Foto: AP Photo/Airbus DS/AllSource Analysis)Imagem de satélite mostra local da queda do Boeing 777, perto de casas na localidade de Hrabove, na Ucrânia (Foto: AP Photo/Airbus DS/AllSource Analysis)
Círculo mostra o local dos destroços. (Foto: Airbus DS/AllSource Analysis)Círculo mostra o local dos destroços.
(Foto: AP Photo/ Airbus DS/AllSource Analysis)
Uma imagem de satélite que mostra o local principal da queda do voo MH17 da Malaysia Airlines, perto de Hrabove, na Ucrânia foi divulgada nesta segunda-feira (21).
Na fotografia, datada deste domingo (20) é possível ver uma mancha negra num campo próximo a algumas casas rurais. A área é controlada por rebeldes pró-Rússia e, por isso, especialistas internacionais ainda não tiveram acesso irrestrito para investigar os destroços.
O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta segunda-feira (21) uma resolução que condena a derrubada do avião de passageiros da Malaysia Airlines e pede acesso ao local da queda.
O documento redigido pela Austrália - que perdeu 28 cidadãos na queda - foi aprovado por unanimidade pelos 15 membros participantes do conselho.
O texto pede ainda que os culpados assumam a responsabilidade e que "todos os estados cooperem totalmente com os esforços para esclarecer o ocorrido."
O voo MH17 da Malaysia Airlines caiu em uma região dominada por separatistas pró-Rússia na Ucrânia, matando todos os 298 a bordo, no dia 17 de julho.
Os separatistas afirmaram nesta segunda que entregariam as caixas-pretas para especialistas da Malásia, segundo Sergei Kavtaradze, uma autoridade da autoproclamada República Popular de Donetsk, que falou à agência Reuters.
Também nesta segunda, o trem refrigerado com os cerca de 300 corpos deixou no início da noite (hora local) a estação de trem de Torez, cidade controlada pelos rebeldes separatistas no leste da Ucrânia.
Mais cedo, o vice-primeiro-ministro ucraniano Vladimir Groisman anunciou que o trem chegaria no mesmo dia à cidade de Kharkiv, na região vizinha de mesmo nome, em que já espera um grupo de especialistas forenses de vários países.
Depois, os restos mortais serão transportados a Amsterdã em um avião militar Hercules C130 da Holanda, com seis membros de uma equipe malaia que os acompanhará também no trem, segundo declarou Najob Razak, premiê da Malásia. De acordo com o primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, o governo da Ucrânia concordou que as identificações dos corpos sejam feitas na Holanda.